Vaginismo provoca dor e impede a mulher de consumar relações sexuais


Vaginismo provoca dor e impede a mulher de consumar relações sexuais
Publicado em: 28/06/2011
A dor na região íntima é o principal sintoma desse distúrbio que atinge de 4 a 6% da população feminina. O vaginismo é a contração involuntária dos músculos da vagina, que impede a penetração durante a relação sexual, explica o Dr. Oswaldo Rodrigues Jr., psicoterapeuta e diretor do Instituto Paulista de Sexualidade. Há 30 anos, segundo o especialista, acreditava-se que essas mulheres tinham o vaginismo em decorrência de alguma experiência traumática na infância, como o abuso sexual. Hoje, a doença está diretamente relacionada a fatores psicológicos que geram um conflito emocional entre o corpo e a mente e necessitam de atenção e cuidados especiais.
Mesmo que a mulher sinta atração e desejo sexual por seu parceiro, ela não consegue praticar o ato enquanto estiver nessa condição, tamanha a dor que sente quando o companheiro busca consumar a relação. “As mulheres “vagínicas” tampouco conseguem utilizar absorventes internos e submeter-se a exames ginecológicos, já que é impossível realizar a análise física do corpo”, explica.

O Dr. Rodrigues comenta que a maioria dessas mulheres não se consulta com seu médico ginecologista e afirma que elas percebem os primeiros sintomas ainda adolescentes, mas sentem-se envergonhadas a tal ponto que chegam a ignorar esse distúrbio. O médico destaca a falta de informação e exploração do próprio corpo como fatores que contribuem para o aumento dos casos.

A procura por ajuda profissional acontece quando surge o desejo de ser mãe. O psicoterapeuta revela que a maioria só busca tratamento após os 30 anos e sempre depois de casadas, o que dificulta o sucesso do tratamento, já que passaram muito tempo sem tratamento para o distúrbio e desejam recuperar o tempo perdido após mais de uma década sofrendo da patologia.
Dificuldades a parte, o vaginismo tem cura. O tratamento é lento e exige paciência e dedicação das pacientes. Nesse caso, o diagnóstico e o tratamento são realizados através de psicoterapia, para que as pacientes exponham suas limitações e busquem a solução para o problema.

O médico diz que é fundamental a presença do companheiro nas consultas é com o apoio do parceiro que as mulheres enfrentam a doença. “O tratamento pode ser realizado individualmente, com o casal e até mesmo em grupos. Nas consultas, as mulheres conversam com o psicoterapeuta que a orienta quanto à compreensão dos fatores emocionais que conduzem a esse problema”, comenta.

Além da sessão com o profissional, as pacientes são orientadas a realizarem exercícios semanais e tarefas relacionadas à estimulação do órgão sexual feminino, para que aos poucos, o corpo possa se adaptar à nova condição e passe a ter uma vida sexual plena.
http://www.saudeempautaonline.com.br/categoria/1/Outras_noticias/120/Vaginismo-provoca-dor-e-impede-a-mulher-de-consumar-relacoes-sexuais.aspx

Anúncios

Sobre Psic. Oswaldo M. Rodrigues Jr.

Psychologist and sex and couple´s therapist at Instituto Paulista de Sexualidade www.inpasex.com.br Psicólogo e Psicoterapeuta Sexual e decasais do Instituto Paulista de Sexualidade www.oswrod.psc.br
Esse post foi publicado em disfunção sexual, sexualidade feminina, vaginismo. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s